Pular para o conteúdo
Início » American Depositary Receipts(ADRs): Entenda o que são e como funcionam

American Depositary Receipts(ADRs): Entenda o que são e como funcionam

American-Depositary-Receipts(ADRs)
Compartilhe este Post

Se você já ouviu falar sobre investimentos internacionais, é provável que tenha se deparado com o termo American Depositary Receipts (ADR) em algum momento.

Mas o que exatamente são os ADR e como eles funcionam?

Neste artigo, vamos explorar em detalhes esse importante instrumento financeiro que permite aos investidores acessarem empresas estrangeiras através das bolsas americanas.

O que são ADRs?

ADRs (American Depositary Receipts) são instrumentos financeiros que permitem que investidores dos Estados Unidos tenham acesso a ações de empresas estrangeiras sem a necessidade de abrir contas em corretoras internacionais.

Bancos americanos emitem esses certificados, que representam indiretamente as ações de empresas estrangeiras, sendo negociados como ações locais nos mercados americanos.

Funcionamento dos ADRs

Os ADRs (American Depositary Receipts) são instrumentos financeiros que permitem que investidores dos Estados Unidos tenham acesso a ações de empresas estrangeiras sem a necessidade de abrir contas em corretoras internacionais.

Vamos entender melhor como funcionam esses certificados e todo o processo por trás deles.

Instituição Custodiante e Depositária

Para emitir um ADR, uma instituição custodiante no país de origem da empresa deve manter a custódia das ações.

Nos Estados Unidos, uma instituição depositária emite os ADRs com base nessas ações custodiadas no exterior.

Isso permite que os investidores americanos comprem e vendam ADRs como se estivessem lidando com ações de empresas dos próprios Estados Unidos.

Negociação dos ADRs

Investidores negociam os ADRs (American Depositary Receipts) nos mercados americanos, como a Nasdaq e a NYSE, ou no mercado de balcão.

Eles denominam em dólares americanos, o que facilita a negociação para investidores dos Estados Unidos.

A liquidez dos ADRs pode variar dependendo da demanda dos investidores e da disponibilidade de ações no mercado.

Dividendos e Direitos

Os investidores que detêm ADRs podem receber dividendos e participar de eventos corporativos, como oferta de novas ações ou fusões.

Os dividendos geralmente são pagos em dólares americanos, facilitando o recebimento para investidores americanos.

Além disso, as empresas emissoras podem emitir ADRs com direitos especiais, como o direito de voto em assembleias de acionistas, dependendo do acordo entre a instituição depositária e a empresa emissora.

Vantagens dos ADRs

Investir em ADRs apresenta diversas vantagens para os investidores interessados em diversificar suas carteiras:

  • Acesso ao mercado global: Os ADRs possibilitam que investidores americanos tenham acesso a empresas de diversos países sem enfrentar a burocracia de abrir contas em corretoras internacionais.
  • Diversificação: Ao investir em ADRs, os investidores podem diversificar suas carteiras com empresas de diferentes setores e regiões geográficas, reduzindo o risco específico de cada mercado.
  • Facilidade de negociação: Os ADRs são negociados nos mercados americanos, que geralmente têm maior liquidez e facilidade de execução de transações em comparação com outros mercados internacionais. Isso torna mais simples para os investidores comprarem e vender ADRs conforme necessário.

Desvantagens dos ADRs

Apesar das vantagens, investir em ADRs também apresenta desafios e riscos:

  • Risco cambial: Como os ADRs representam empresas estrangeiras, estão sujeitos ao risco cambial associado à volatilidade das moedas estrangeiras em relação ao dólar americano. Flutuações nas taxas de câmbio podem afetar o valor dos ADRs.
  • Risco político: Eventos políticos nos países de origem das empresas podem impactar significativamente o desempenho dos ADRs. Instabilidade política, mudanças regulatórias e eventos geopolíticos podem influenciar o valor das ações representadas pelos ADRs.
  • Risco de liquidez: Embora os ADRs sejam negociados nos mercados americanos, sua liquidez pode variar dependendo da demanda dos investidores. A falta de liquidez pode dificultar a compra ou venda de ADRs em determinados momentos, afetando a capacidade dos investidores de executar transações com eficiência.

Tipos de ADRs

Os ADRs (American Depositary Receipts) se classificam em diferentes níveis, refletindo o grau de divulgação de informações financeiras e os direitos dos investidores.

Vamos explorar mais detalhadamente cada tipo de ADR e entender suas características específicas.

ADRs de Nível 1

Os ADRs de Nível 1 representam o tipo mais básico e simples.

Empresas que optam por esse nível desejam que suas ações sejam negociadas nos Estados Unidos, mas elas não querem divulgar informações financeiras completas.

Portanto, o mercado de balcão é o único lugar onde essas empresas são encontradas, e geralmente têm baixa liquidez.

Os investidores que adquirem ADRs de Nível 1 podem enfrentar maior dificuldade em obter informações detalhadas sobre a empresa, pois as divulgações financeiras são limitadas.

ADRs de Nível 2

Os ADRs de Nível 2 representam um patamar intermediário em termos de divulgação de informações.

Empresas que emitem ADRs de Nível 2 divulgam suas informações financeiras de acordo com os S GAAP (Generally Accepted Accounting Principles), alinhadas com os padrões da SEC (Securities and Exchange Commission).

Essas empresas podem negociar em bolsas de valores como a Nasdaq e a NYSE, o que proporciona maior liquidez em comparação com os ADRs de Nível 1.

No entanto, as empresas de Nível 2 não têm permissão para realizar ofertas públicas de novas ações nos mercados americanos.

ADRs de Nível 3

Os ADRs de Nível 3 representam o mais alto padrão de ADRs disponíveis.

Além de cumprir todos os requisitos dos níveis anteriores, esses ADRs oferecem vantagens semelhantes às das ações negociadas nos Estados Unidos, como maior liquidez e facilidade de negociação.

Empresas que emitem ADRs de Nível 3 têm permissão para realizar ofertas públicas de novas ações e são obrigadas a divulgar informações financeiras completas, seguindo os requisitos rigorosos da SEC.

Isso proporciona aos investidores uma maior transparência e confiança nas operações das empresas.

Diferenças entre os Níveis

As principais diferenças entre os níveis de ADRs residem na extensão da divulgação de informações financeiras e nos direitos dos investidores.

Enquanto os ADRs de Nível 1 oferecem pouca divulgação e baixa liquidez, os ADRs de Nível 3 proporcionam aos investidores uma experiência semelhante à negociação de ações americanas, com maior transparência e acesso a ofertas públicas de novas ações.

Essa hierarquia de níveis permite que os investidores escolham o tipo de ADR que melhor atenda às suas necessidades e preferências de investimento.

Considerações sobre os ADRs

Ao considerar investir em ADRs, é importante entender as diferenças entre os diferentes níveis e avaliar cuidadosamente as informações disponíveis sobre a empresa emissora.

Embora os ADRs ofereçam acesso conveniente a empresas estrangeiras, cada nível apresenta suas próprias vantagens e desvantagens.

Os investidores devem considerar fatores como liquidez, divulgação de informações e direitos dos acionistas ao tomar decisões de investimento em ADRs.

Diferenças entre ADRs e BDRs

As diferenças entre ADRs (American Depositary Receipts) e BDRs (Brazilian Depositary Receipts) são importantes para os investidores entenderem, especialmente aqueles interessados em diversificar seus portfólios com ações estrangeiras.

Vamos explorar mais detalhadamente as distinções entre esses dois tipos de recibos depositários e como eles funcionam em contextos diferentes.

Regulação e Localização

Uma das principais diferenças entre ADRs e BDRs reside na regulação e localização das bolsas onde ocorre sua negociação.

Os ADRs obedecem à regulamentação e requisitos dos órgãos reguladores dos Estados Unidos, como a SEC (Securities and Exchange Commission), e são transacionados nas bolsas de valores americanas ou no mercado de balcão dos EUA.

Já os BDRs obedecem à regulamentação e aos requisitos dos órgãos reguladores do Brasil, como a CVM (Comissão de Valores Mobiliários), e são negociados na B3, a bolsa de valores brasileira.

Local de Negociação e Moeda

Outra diferença significativa entre os ADRs e BDRs é o local de negociação e a moeda em que são transacionados.

Enquanto os ADRs negociam nos Estados Unidos e normalmente em dólares americanos, os BDRs negociam no Brasil e em reais brasileiros.

Essa distinção é importante para os investidores, pois influencia os custos de transação e a exposição a diferentes moedas.

Variedade de Empresas

Os ADRs oferecem aos investidores acesso a empresas de todo o mundo que optam por listar suas ações nos mercados americanos.

Isso significa que os investidores podem negociar ADRs de empresas europeias, asiáticas, latino-americanas e de outras regiões, ampliando significativamente suas opções de investimento.

Por outro lado, os BDRs estão limitados a empresas estrangeiras que optam por listar suas ações na B3, o que pode resultar em uma oferta mais limitada em comparação com os ADRs.

Requisitos de Divulgação e Transparência

Os ADRs e BDRs também diferem em termos de requisitos de divulgação e transparência.

As empresas que emitem ADRs estão sujeitas aos rigorosos requisitos de divulgação da SEC, que visam garantir a transparência e proteger os investidores.

Por outro lado, os BDRs estão sujeitos aos requisitos de divulgação da CVM, que podem ser diferentes dos requisitos da SEC.

Isso pode afetar a quantidade e a qualidade das informações disponíveis para os investidores sobre as empresas emissoras de BDRs.

Riscos e Considerações

Ao considerar investir em ADRs ou BDRs, os investidores devem levar em consideração uma série de fatores, incluindo os riscos associados a cada tipo de investimento.

As flutuações cambiais afetam os ADRs, pois eles são negociados em dólares americanos e representam empresas estrangeiras.

Por outro lado, os BDRs estão sujeitos a flutuações cambiais e riscos específicos do mercado brasileiro.

Além disso, os investidores devem considerar questões como liquidez, custos de transação e diversificação ao decidir entre ADRs e BDRs.

Como investir em ADRs?

Investir em ADRs (American Depositary Receipts) pode ser uma maneira interessante de diversificar seu portfólio e acessar empresas estrangeiras listadas nos mercados americanos.

É fundamental compreender como investir nesses instrumentos para aproveitar as oportunidades oferecidas pelo mercado internacional.

Vamos explorar agora algumas etapas essenciais para investir em ADRs e como iniciar sua jornada no mundo dos investimentos globais.

Escolha de uma Corretora

O primeiro passo para investir em ADRs é escolher uma corretora que ofereça acesso a esses ativos.

É importante encontrar uma corretora que atenda às suas necessidades específicas e ofereça uma plataforma de negociação fácil de usar.

Existem várias corretoras nos Estados Unidos que permitem a negociação de ADRs, então pesquise e escolha aquela que melhor se adapta ao seu perfil de investidor.

Abertura de Conta e Remessa de Recursos

Depois de escolher uma corretora, o próximo passo é abrir uma conta de investimento.

O processo de abertura de conta geralmente envolve a conclusão de formulários online e a verificação de documentos de identificação.

Uma vez que sua conta esteja aberta, você precisará remeter fundos para ela.

Isso pode ser feito por meio de transferência bancária internacional ou outras formas de remessa de recursos, dependendo das políticas da corretora.

Conversão de Moeda

Você precisará converter sua moeda local para dólares americanos antes de investir em ADRs.

Você pode realizar essa conversão através de uma casa de câmbio ou utilizando o serviço de câmbio oferecido pela corretora.

Esteja ciente das taxas de câmbio e possíveis custos associados à conversão de moeda, pois isso pode afetar o valor dos seus investimentos em ADRs.

Seleção de ADRs

Com sua conta aberta e os fundos disponíveis, é hora de selecionar os ADRs nos quais deseja investir.

Você pode pesquisar e analisar empresas estrangeiras listadas nos mercados americanos para identificar aquelas que se alinham com seus objetivos de investimento e estratégia.

Considere fatores como o desempenho passado da empresa, sua posição no mercado e perspectivas futuras ao fazer suas escolhas.

Ordem de Compra

Após selecionar os ADRs desejados, você pode fazer uma ordem de compra por meio da plataforma de negociação da sua corretora.

Certifique-se de inserir os detalhes corretos da transação, como o símbolo do ADR, a quantidade de ações que deseja comprar e o preço limite, se aplicável.

Uma vez que sua ordem seja executada, você se tornará oficialmente um investidor nos ADRs selecionados.

Investir em ADRs pode oferecer uma maneira conveniente e acessível de acessar empresas estrangeiras e diversificar seu portfólio.

No entanto, lembre-se sempre de conduzir uma pesquisa cuidadosa e entender os riscos associados antes de tomar qualquer decisão de investimento.

Conclusão

Os ADRs oferecem aos investidores uma maneira conveniente de acessar empresas estrangeiras através das bolsas americanas.

Com uma ampla variedade de empresas e setores disponíveis, os ADRs podem ser uma ótima opção para quem busca diversificação e exposição ao mercado global.

No entanto, é importante realizar uma pesquisa cuidadosa e entender os riscos envolvidos antes de investir em ADRs.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d